sauna  são roque

localização

aruja . são paulo . brasil

projeto

2016

obra

2017

area construida

70m²

arquitetura

rivas francisco

messina rodrigo

equipe civil

lorivaldo barbosa viana

walter dos santos


marceneiro

impacto marcenaria

eletricista

mauro de almeida

 

hidráulica

mauro de almeida

Sobre:

Estávamos em Asunción, no Paraguai, quando recebemos uma ligação de São Paulo com um pedido para a realização de uma Sauna em um Sitio no município de Arujá, a 40km da capital. Nos disseram que estavam reformando o telhado da casa e que logo em seguida gostariam de construir uma sauna.

De nossa parte, a pergunta que surge é: o que se iria fazer com as telhas antigas? Era como se o lugar onde estávamos sugerisse um modo de pensar.

Nos foi dado um programa que consiste em uma sauna seca, uma jacuzzi, uma área de repouso e uma ducha, para ser realizado em uma pequena palafita de concreto que sustenta uma varanda.

Pensamos o projeto como um ensaio entre o desenho e a construção.

Imaginamos que a linha que define o caminho de chegada ao ambiente da sauna fosse construída com as telhas de concreto que sobraram da reforma do telhado. 

Para isso, com os dois mestres de obra investigamos as possibilidades e percebemos que por simples apoio seco era possível construir muros de telha desde que fossem estabilizados pelo peso de uma laje de concreto de 5cm e travados entre si por perfis metálicos esbeltos.

Com a obra já em andamento, encontramos um anuncio no Mercado Livre de um morador de Arujá que estava vendendo tijolos de demolição. Essa sobra de material nos foi oportuna para construir o ambiente da Sauna que até então estava sem definições de materialidade.

O fato de uma sauna necessitar um isolamento térmico, nos fez ter dificuldade de revestir as paredes de bloco baiano com os tijolos de demolição, pois a lã de vidro fixada na parede de bloco não dava atrito o suficiente para se assentar tijolos.

Com os mestres de obra imaginamos uma parede autoportante de tijolo de demolição. Para isso, pré-fabricamos placas de 9 tijolos intertravado por uma tela de galinheiro rebocada de cimento. Essas placas quando trianguladas e apoiadas em ziguezague se auto estruturam permitindo o uso das sobras de tijolos como revestimento térmico.

Esses procedimentos são frutos de uma articulação de saberes essenciais no processo construtivo da Sauna São Roque. O projeto se realiza como um caminho que percorre essas experiências e que se completa em repouso:

Ao descer uma rampa de tijolos um muro de telha vai surgindo e direciona para o ambiente construído. Caminha-se até a sauna seca, onde se mira a paisagem até o limite térmico do corpo. Um banho de água gelada, um abrigo e uma cadeira de balanço para repousar.